Olazabal Finest Reserve Port

PRODUTOR: Quinta do Vale Meão REGIÃO: Douro
R$ 243,71 R$ 170,60
Um Porto Ruby deslumbrante, produzido pela conceituada Quinta do Vale Meão.

Quinta do Vale Meão

 

Quinta do Vale Meão, propriedade que dá nome ao vinho, foi a última das aproximadamente 30 grandes quintas que pertenceram à famosa Dona Antónia Adelaide Ferreira, conhecida por todos como “Ferreirinha”, um dos nomes mais importantes da história vinícola de Portugal, em especial do Douro. O Meão foi a única quinta que Ferreirinha construiu do zero, em um terreno onde antes só havia mato e animais selvagens, uma área ainda pouco explorada do Douro Superior, justamente pela distância que separava a região das cidades do Porto e de Vila Nova de Gaia e pela dificuldade em se chegar até lá. Francisco Javier de Olazabal, trineto da lendária Ferreirinha, assumiu a gestão do grupo nos anos 1970 e, ao longo dos anos, em um processo de aquisição das partes de familiares e coproprietários, em 1994, tornou-se, juntamente com seus filhos, único proprietário da quinta (toda produção era comercializada à empresa A.A. Ferreira S.A.). Em 1998, após renunciar ao cargo de presidente da A.A.Ferreira, Francisco estabeleceu a empresa F. Olazabal & Filhos, a qual é o atual presidente e seu filho Francisco de Olazabal y Nicolau de Almeida é o enólogo.

Vinho do Porto

 

O mais clássico dos vinhos fortificados é, sem dúvida, o Porto. Todos os Portos apresentam algum grau de açúcar residual. A maioria deles é, de fato, doce. Alguns, bem doces. Durante sua elaboração, em determinado estágio do processo de fermentação, a aguardente vínica é adicionada, normalmente na proporção de uma parte de álcool para cada quatro partes de vinho. Essa adição destrói as leveduras e interrompe a fermentação. O enólogo determina o momento da fortificação de acordo com o grau de doçura desejado. Logo após a fortificação, o vinho é disposto em tonéis para descansar. Os Portos recebem uma classificação de acordo com o período em que o vinho passa nesses tonéis.