Covela Edição Nacional Alvarinho 2018

PRODUTOR: Quinta da Covela REGIÃO: Minho
R$ 124
Ótimo agora, mas tem todos os atributos para melhorar nos próximos anos. Um Alvarinho incrível!

Quinta da Covela

 

Após pertencer a Manoel Oliveira, grande nome do cinema português, a Quinta de Covela foi comprada pelo empresário Nuno Araújo (responsável por investir na vinícola e criar a marca Covela) no final da década de 1980. Em 2011, o grupo Lima & Smith tornou-se o novo proprietário e, com a ajuda do enólogo Rui Cunha, traçou um projeto para restabelecer a quinta. Localizada na região dos Vinhos Verdes, a propriedade possui 45 hectares, dos quais 18 são de vinhedos, distribuídos por duas freguesias do Baixo Douro, São Tomé de Covelas e Santa Cruz do Douro. A gama de vinhos produzidos é ampla, com brancos, rosés e tintos, e inclui a edição especial Covela Fantástico, somente elaborado quando a vinícola julga ser uma safra de qualidade excepcional.

Vinhos Verdes

 

Além de originar ótimos rótulos, as margens do Rio Minho guardam história. Em 1926, após o golpe militar de Gomes da Costa, o comércio do vinho verde é regulamentado, os limites geográficos da denominação são definidos e os seus vinhos são caracterizados. Cria-se então a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) para exercer o controle da produção e do comércio. Nos anos 1950, a Denominação de Origem (DO) Vinho Verde é aceita pela Organização Internacional do Vinho. Às vésperas da Revolução dos Cravos, finalmente, a DO é reconhecida e registrada na Organização Mundial da Propriedade Industrial (Genebra, 1973), conferindo à região do Minho a exclusividade internacional no uso da designação Vinho Verde. Em consequência da entrada de Portugal na Comunidade Européia, em 1986, a CVRVV é reformulada. Além da delimitação geográfica, o controle se estende às videiras e aos vinhos.

Produtos relacionados